Início
Voltar

Faustina - Final da Reforma

       Tô Bão ! 

Hoje a tarde terminei a colocação do amortecedor de direção da Faustina. Até que era uma coisa que deveria estar pronta há tempos, mas além de ter muito mais o que fazer, queria rodar um pouquinho sem ele prá ver qual é ! Não precisava muito dele mesmo, mas o amortecedor de direção aumenta a segurança, o conforto ao dirigir, e principalmente, preserva os componentes da direção, inclusive o setor, que é trabalhoso e caro de se consertar.

Faltava então o botão da buzina. E foi colocando o botão da buzina no lugar, que terminou a reforma da Faustina. Acabou ! Foram quatro anos, dez meses e cinco dias, desde o dia da grande doideira em que eu e Rosilene saímos no Logus em uma quinta-feira à tarde, para fazer uma viagem de 500 Km, indo até Dores do Indaiá, e comprar um canguiço estrovengado, já batizado de Faustina.

Agradeço a todos que me ajudaram, e durante o dia de hoje fui lembrando um a um, juntamente com o Jairo, que acompanhou a odisséia completa, sendo o que mais me ajudou em tudo. Agradeço também a todos que atrapalharam, pois foram maioria, e me ensinaram muito, principalmente como, onde, e o que não deve ser feito.

Não estou tão triste por terminado. Achei que ficaria, pois já tem muito tempo que essa pendenga de reforma vem se arrastando, e a gente até se acostuma com os problemas a serem resolvidos. Mas não vai parecer que está faltando nada, pois semana que vem, o Edwaldo entra na lista. Não será uma demorada reforma como a da Faustina, pois ele é mais fácil por ser um Jeep, quem vai desmontar ele todo sou eu, assim não sumo com peça alguma e além de ter aprendido muito com ela. Acho que uns três meses dá, pois no carnaval vou precisar muito dele.

Enfim, desse momento em diante, não tenho mais a Faustina para passar os finais de semana brincando de mecânico, mas em compensação temos um carro muito divertido para passear. E o principal mesmo é que agora posso dizer! "Sou o mais novo pissuidor de Rural que anda !..."

Um abraço,

11/10/2006   

         Walter Júnior - B. Hte. -

waltergjunior@waltergjunior.com


  
 

 

        Vou aproveitar essa parte da página para homenagear alguns dos que me ajudaram. Sei que estou sendo injusto com mais um tanto de gente, mas garanto que todos são sempre lembrados.




Ao Jairo, amigo de primeira, que sempre dá apoio em toda invenção de moda.
E não é só apoio verbal não. Ele sempre ajuda fazer.







Ao Expedito, que já foi Jeepauto e hoje é Roma.
Não é só o vendedor que mais conhece Willys em Belo Horizonte, mas sobretudo um amigo.
Aproveito a sua figura para lembrar de todos os vendedores,
de todas as lojas, que bem me atenderam e ajudaram.







Sr. Manoel Queiroz, com seus interessantes casos para contar.

 

  O Paulo Porto, mecânico de qualquer carro,
 sempre com suas dicas e seu bom coração. Nunca  me deixou na mão em uma necessidade.

Com seu serviço de qualidade, sempre tratou meus problemas como se fossem seus.

Esse retrato histórico em sua oficina, tem o chassis do Edwaldo como plataforma para a pose.








O Nazareno de Oliveira, que eu gostaria que fosse lembrado. O Naza já trabalhou muito com Jeep,
mas hoje só conta casos daquele tempo. Durante mais de 40 anos somente trabalhou com VW, sobretudo os VW a ar.
Conserta qualquer outro automóvel em sua oficina atualmente, mas não mais trabalha com a mecânica Willys.
A Faustina e o Edwaldo ele nunca colocou a mão, mas já deu dicas preciosas.
E me ensinou bastante sobre os outros carros, principalmente meu Fuscão, que é um especialista.

 

 

 

    Todos esses são acima de tudo, amigos. Pessoas com tamanho desprendimento que nunca lhes permitiu guardar somente para si o que sabem. E já me ensinaram bastante.


Início

Voltar